Loading...

ELABORANDO O PRIMEIRO MANUSCRITO

Resumo do Texto: "Elaborando o primeiro manuscrito", parte integrante do livro:: " Metodologia Científica para Principia...

Elaborando o primeiro manuscrito

Resumo do Texto: "Elaborando o primeiro manuscrito", parte integrante do livro:: "Metodologia Científica para Principiantes".
Por: João Paulo Meira Marinho 

O passo inicial, na elaboração de um primeiro manuscrito, é o de se delinear a problemática, ou seja, o contexto em que o problema será estudado. Este contexto é o ambiente onde o objeto de estudo está incluído. 

Não se pode confundir problema e problemática, sob o risco de ter o seu trabalho desacreditado. Se o leitor notar que o autor do trabalho está confundindo estes dois elementos, pode-se gerar desconfiança sobre a origem dos dados e a idoneidade do escritor, ficando o trabalho obscuro, pois se confunde objeto de estudo com o próprio estudo do objeto. Desta feita, convém afirmar que problema é o foco descrito pela problemática. É o objeto do estudo; problemática é o ambiente. O meio em que está inserido o objeto do estudo (o problema). Além disso, estes dois elementos devem estar descritos de forma clara e precisa para não confundir o leitor. 

Para que o texto produzido, tenha sentido, é preciso que o escritor, identifique problemas. É através da identificação precisa de problemas que ele irá refletir longamente, antes de iniciar o seu ensaio. este ponto é fundamental no processo de produção do trabalho a ser escrito. 

É importante também lembrar que ao enfocar o problema, o escritor estará informando ao leitor, qual a sua ocupação naquele texto. Também vale observar que numa mesma problemática (contexto), haverá diversos problemas, e entre estes o escritor terá que selecionar um ou mais, para que possa resolvê-los em seu trabalho. Nenhum ensaio pode ser produzido sem estar vinculado a uma temática específica. A razão de se identificar um (ou mais) foco (s), dentro de um contexto é o de permitir ao leitor conhecer a gravidade, importância ou significado do problema a ser estudado e as abordagens existentes ou propostas para se lidar com o problema. Desta maneira, conclui-se que: quanto mais vasto ou específico forem os problemas, mais gerais ou mais determinados serão as conclusões e os argumentos. 

Mas como se seleciona os problemas mais relevantes ao trabalho, dada a quantia enorme de problemas que se apresentam em um contexto? Segundo o autor deste trabalho, não há critérios muito rígidos sobre a escolha e solução para os problemas a serem estudados. Desta maneira, é apresentado no texto, algumas perguntas-pistas, que o escritor deve se fazer ao identificar a problemática e alguns problemas. perguntas como: 

  • "Em que medida o problema está claramente identificado para todos?"
  • Qual a importância da minha solução?", entre diversas outras.

Outro aspecto fundamental ao se produzir um manuscrito é o de apresentar justificativas, ou seja, apontar razões da existência do ensaio (texto). Motivos que apresentem a finalidade dele ter sido produzido. Em outras palavras é o para quê e não o por quê de se fazer este trabalho. E aí, neste aspecto, dois detalhes são importantes a se considerar: 

  1. O trabalho se faz necessário (e portanto se justifica) na medida em que busca explicações, testa um modelo, ou é parecido com um protótipo específico; 
  2. O trabalho é a justificativa do autor, porque gosta do tema, ou porque o professor pediu que ele fizesse o mesmo, desenvolvendo-o à sua maneira, ou algo deste tipo. 

O teor do argumento e da análise proposta é o momento em que o escritor irá considerar as seguintes definições: 

  • Argumento: é a explicação que se tem para trabalhar os dados; 
  • Análise: é a forma de avaliação que será usada. 

Enquanto o argumento ajuda o escritor a criar as frases em torno de um objeto abstrato embutido no texto, a análise disseca a realidade do objeto para que, ao desvendar as partes, se forme o todo que está sendo construído pelo argumento. A menos que o texto seja muito extenso (livro por exemplo), deve-se usar mais de um argumento, para que o leitor alcance a verdadeira posição relativa do autor. 

A análise agrega então as pequenas partes (argumentos) que vão formando a coerência do todo. Ambos os elementos são partes integrantes, indispensáveis e inseparáveis de um texto científico. 

Finalmente, o bom trabalho científico deverá apresentar ao seu final, as conclusões & recomendações. A conclusão deve ser breve, recapitulando-se as ideias principais formando um todo coerente. Nesta fase, deve-se reforçar os principais argumentos de maneira concisa, clara e objetiva. 

Segundo o autor, duas características devem ser evitadas na conclusão: insinuar ser pretensioso, por exemplo, afirmando que seu trabalho é o melhor, ou que suas soluções são únicas; ou pecar por ser humilde. Humildade não significa colocar-se na posição de ridículo. Por exemplo, jamais use algo tipo: "o leitor deverá desculpar as minhas falhas...".

O leitor não tem que desculpá-lo por nada; se o seu trabalho não está pronto, não merece ser lido ou publicado, e é você e não o leitor o melhor juiz. Por isso, não se sinta acanhado, não explique ou justifique-se pelo que não escreveu. 

"No trabalho escrito não há muito espaço para humildade, mas nem por isto, se deve confundir aplicabilidade com arrogância. A arrogância surge a partir da forma como se tenta embutir a humildade, isto é, ela pode ser agressiva ou extremamente pretensiosa, apesar de estar afirmando que é um modesto ensaio. outra coisa é a aplicabilidade, que mostra as limitações de seu trabalho, de suas proposições ou soluções. Confundir as duas coisas (arrogância e aplicabilidade) é perder a dimensão do escopo do que se está propondo e o alcance de suas propostas." (CARMO-NETO, 1996 - P. 128) 

BIBLIOGRAFIA: 

CARMO NETO, Dionísio. Metodologia Científica para principiantes. 3ª edição. Salvador: American World University Press, 1996. Páginas 117 a 1333. 

Obs: como a proposta foi produzir um "Resumo" sobre o texto "Elaborando o primeiro manuscrito", parte integrante do livro acima mencionado, convém ressaltar que há no material origem deste resumo, perguntas orientadoras e exemplos diversos, que não caberiam ser descritos pela proposta específica e limitada desta produção. Recomendo que se você busca escrever com qualidade e eficiência, procure ler o texto na íntegra, sendo melhor ainda, a leitura da obra completa, por apresentar propostas práticas de elaboração de trabalhos científicos.

Reações: 
Artigos & Resumos 5640742473259279610

Postar um comentário

Página inicial item

Publicidade

Nossa página no Facebook

Recomende nosso site





Popular Posts

Sugestão de Leitura

Random Posts